A contaminação cruzada pode acontecer por transferência de microrganismo

de um alimento ou superfície de utensílios, equipamento ou até mesmo do

próprio manipulador.

Muitas pessoas não possuem conhecimentos de que o simples ato de cortar o

frango cru e depois usar a mesma faca, sem lavar, para fatiar uma carne

assada pode estar transmitindo uma ameaça para saúde, ou seja, uma

contaminação cruzada que pode ser perigosa.

Segundo a ANVISA (Agência Nacional da Vigilância Sanitária) alimentos crus

como ovos e carnes vermelhas, são responsáveis em média por 34,5% dos

surtos de doenças transmitidas por alimentos que ocorrem no Brasil. Por isso é

muito importante tomar sérios cuidados durante a manipulação, preparo,

armazenamento, data de validade do produto, higienização pessoal do

manipular, higienização do ambiente e dos utensílios.

Uns dos descuidos mais comuns entre a população brasileira é o hábito de

não lavar as mãos frequentemente durante manipulação, a preferência por

carnes mal passadas e o consumo de maioneses caseiras preparadas com

ovos crus. Além dos micróbios patogênicos estarem presentes nos alimentos

mal preparados eles podem contaminar outros, como os vegetais que

utilizamos na maionese, a tabua que servimos a carne, o talher, as mãos e etc.

Os tipos de DTAs (doenças transmitidas por alimentos) mais comuns em

alimentos contaminados são Salmonella, Bacillus cereus, Escherichia coli e

Staphylococcus areus. O cozimento adequado consegue matar quase todos os

microrganismos perigosos, a temperatura segura para cozimento dos alimentos

é acima de 70°C, lembre – se que a intoxicação alimentar é causada pela

ingestão dos micróbios patogênicos ou pelas toxinas que esses

microrganismos liberam.

RECEITA DE UMA DELICIOSA MAIONESE CASEIRA

INGREDIENTES: 2 gemas de ovo cozido, meia batata picada cozida e gelada,

100 ml de leite, 1 colher de sopa de óleo, suco de um limão e uma pitada de

sal.

MODO DE PREPARO: coloque no liquidificador todos os ingredientes e deixe

bater ate criar uma consistência. E não se esqueça de lavar as mãos a cada

etapa da manipulação

DICA IMPORTANTE: o máximo que uma maionese pode ficar exposta para o

consumo de forma segura é 1 hora após o preparo.

Comentários

comentários