Separação dos Pais

        Separação é um assunto delicado para o casal envolvido, mas quando temos no meio uma criança se torna ainda mais complicado para se resolver. Marido e mulher podem vir a se separar em um determinado momento de suas vidas, porém, o relacionamento entre pais e filhos não poderá deixar de ser fundamental para a criança jamais. É comum que os adultos envolvidos fiquem feridos, magoados, mas, precisamos deixar claro que a criança não é culpada de nenhum dos motivos que motivaram a separação e sendo assim, com esse pensamento, superar esse momento difícil da melhor forma possível.  Primeiramente, é importante informar a criança de forma clara e honesta, sem demonstrar qualquer dor ou culpando um dos envolvidos sobre a separação e ficar atento as reações que a criança pode ter para esclarecer todas as dúvidas que possam surgir, essas reações, podem variar, mas é comum a criança ficar confusa preocupando-se com as alterações em sua vida a partir daquele momento e imaginar-se como culpada. Porém, nem sempre há sofrimento por parte da criança, já que algumas vezes, dependendo da situação que presencia em sua casa, ela mesma, concordará que a separação é a melhor saída para os pais, mas, em outros casos, para amenizar o sofrimento da criança é necessário que deixe muito claro que a separação é apenas do casamento e afirmar que ela continuará sendo amada pelos dois do mesmo jeito.
Inicialmente,  a criança ou adolescente terá que conscientizar que a partir daquele momento terá um novo contexto de familiar, procurando aceitar que os pais podem construir novas famílias e terão que se adaptar com o novo marido/esposa dos pais, e possíveis irmãos.  Os pais devem evitar ao máximo expor os filhos às brigas, discussões e principalmente, os pais não devem usar os filhos para fazer chantagem com o antigo parceiro, já que a criança deverá ser respeitada e não servindo de objeto para os conflitos entre o casal. Muito comum também os pais falarem “mal” um do outro para o filho, nesses casos, os pais acabam projetando nos filhos suas frustrações na relação e mesmo que, de forma não consciente, ao falar mal, criticar, denegrir a imagem do outro para o filho, desejam que este não goste mais do mesmo. Essa situação pode gerar conflitos para a criança, que muitas vezes, ainda pequena, acaba convivendo com uma demanda emocional muito complexa. É fundamental que os pais estejam atentos aos comportamentos dos filhos durante o processo de separação, tanto antes como após separarem-se. Muitas vezes as crianças começam a apresentar uma queda no desempenho escolar, maior isolamento, tristeza, falta de apetite. Todos estes são sinais de que algo não esta indo bem. Nesses casos, à ajuda de um profissional poderá ser fundamental, tanto para orientação destes pais em como lidar com os filhos diante do novo contexto, como para a criança, que encontrará um suporte emocional adequado para expor suas angustias, medos, fantasias. Em alguns casos, quando os pais decidem separar-se buscam ajuda profissional para receber orientações de como lidar com a criança, e também para que este possa avaliar como os filhos estão lidando com o processo.  O mais importante é que os pais busquem sempre resolver os problemas entre eles sem envolver as crianças, pois estas não têm responsabilidades sobre os conflitos na relação do casal. E, quando acontecer a decisão de se separarem, sejam o mais claros, honestos e sinceros com seus filhos, esclarecendo sempre que estes não tem responsabilidades sobre a separação, e, mesmo se separando vão continuar sendo seus pais e sempre vão amá-los.

Sugestão da psicóloga Juyara Joyce.

Comentários

comentários