Booking.com

As notícias vindas de Três Marias, na região central de Minas, não são nada animadoras. Um grupo de pescadores esportivos da cidade, capitaneado pelo Laércio Figueiredo, Mateus Espada, Alaine Antunes, Mário Marreco, Luiz Alfredo e Celso Cecé, esteve na região do Pontal do Abae­té no último feriadão. Eles chegaram na beira do Velho Chico na tarde de quarta-feira, dia 25, e ficaram espantados com o que viram. O rio estava com pouca água, deixando à mostra pedras e garranchos, além de outros detritos. Apenas nesse dia ocorreram ações, quando foram fisgados quatro mandis tradicionais. O grupo ainda tentou colocar o barco na água nesse dia, mas as dificuldades de navegação eram imensas e não se pôde ir muito além do Pontal. Rapidamente o barco teve que ser tirado do rio e não mais voltou para a água.

Nos outros dias de pesca ? na quinta, sexta, sábado e domingo ? não se registrou nenhuma ação, o que deixou boquiabertos os pescadores. No ano passado, segundo eles, apesar da seca extrema, havia mais água e muitas ações foram registradas. Algumas hipóteses foram levantadas para tentar explicar a situação. Uma delas é a pouca vazão da represa de Três Marias, que atingiu seu menor nível no ano passado. Para manter o nível das águas do lago próximo dos 50%, a Cemig passou a liberar cada vez menos água no leito do Velho Chico abaixo da represa. Com isso, o nível do rio baixou assustadoramente, dificultando, inclusive, a navegação dos pequenos barcos. Segundo os pescadores, é impossível navegar mais de 100 metros sem bater numa pedra ou toco.

Como consequência mais trágica dessa ação do homem, os peixes simplesmente sumiram. Coisa comum na região do Pontal era a pesca de barranco dos piaus três pintas, rolinhas e lambaris. Nem isso está sendo possível mais. O pescador Laércio Figueiredo chegou a afirmar que o rio São Francisco está morto naquele trecho. ?Frequento essa região há muitos anos e sinceramente nun­ca tinha visto o Velho Chico desse jeito. Dá muita tristeza no coração constatar isso, mas é a pura verdade. Não adianta vir mais para Três Marias, pois não há água, não tem peixe e a desolação é muito grande?, lamentou Laércio. Para ocupar o tempo, os pescadores tomaram muita cerveja e dois litros de uísque.

Fonte: http://www.jornalcorreiodacidade.com.br/colunas/419-ser-o-fim-do-rio-so-francisco

Comentários

comentários